APOIO AOS PAIS


Pais precisam mandar?

Todos os pais sabem que a adolescência costuma ser uma fase especialmente conturbada. Para inquietação de muitos, esse período está mais longo hoje: há algumas décadas, o adolescente era o jovem com idade entre os 13 e os 18 anos; hoje, não é raro o comportamento adolescente ser observado em jovens dos 11 aos 20 anos.      Isso se dá porque as crianças se desenvolvem intelectualmente de forma mais precoce, pois os meios de sociabilização e comunicação, entre eles a televisão, fazem com que exercitem raciocínios e presenciem situações com as quais só tomariam contato mais tarde. Dessa forma, a conversa das crianças fica muito parecida com a dos adultos, nos assuntos e na linguagem.      Além da chegada antecipada da adolescência, alguns pais prolongam em demasia esse período, superprotegendo os filhos, não estabelecendo limites e, dessa forma, retardando o amadurecimento sadio do jovem.      Diante disso, é fundamental que os pais entendam que é preciso deixar de superproteger, de fazer todas as vontades do filho e dar-lhe tudo. É necessário entender que ter autoridade em relação ao filho é fundamental, não o deixando agir como bem entender nem tendo receio de dizer "não". É sabido que os filhos precisam de alguém que os oriente até a idade adulta, que passem padrões de comportamento discernindo entre o "certo" e o "errado".      O contrário pode deixar os filhos resistentes a aceitar limites e autoridade, e, o pior, nunca recebendo um "não", além de perderem a noção de ética, querem alongar a adolescência ao máximo, pois é confortável não terem qualquer responsabilidade.      Para estabelecer padrões que exijam dos filhos uma atitude responsável e ética, é imprescindível que haja um constante diálogo entre pais e filhos, apesar das dificuldades decorrentes da oposição natural do adolescente. Cabe aos pais tentar entendê-lo sempre, não desistindo do diálogo, estando atento às suas expectativas, e dando-lhe muito amor, pois nessa fase o adolescente está mais propenso a aceitar os valores do grupo de amigos do que os dos familiares.      Dizer "não" é também uma forma de os pais expressarem o amor que sentem pelo filho.      Os pais que, numa educação muito "liberal", excedem em concessões e omissões, fazem com que os filhos tendam a interpretar essa atitude como descaso e abandono.       Amor e limites devem caminhar juntos, para que o adolescente amadureça com equilíbrio.      Devemos lembrar que suprir as necessidades materiais é importante, mas suprir as necessidades emocionais é muito mais, pois as seqüelas eventualmente adquiridas requerem um trabalho muito grande para serem reparadas.

Voltar

COLÉGIO ARGUMENTO

Certificação de Utilidade Pública Federal
pelo Ministério da Justiça

Certificação de Entidade Beneficente
pelo Ministério da Educação
2943-1002