APOIO AOS PAIS


RODÍZIO DE ALUNOS DEIXA FAMÍLIA EM POLVOROSA

No início do ano, com a formação das novas turmas, a separação dos amigos costuma causar muita chiadeira por parte dos alunos.
     Em geral, a primeira atitude do pai é bancar o onipotente, ir até a escola e pedir - ou exigir - que as coisas voltem a ser como antes. Mas mal sabe esse pai que a mudança só conta pontos a favor no processo de aprendizagem do filho.
     Ajuda a tornar o adolescente mais independente e compreensivo, explicam especialistas da área de educação. Além de aprender a conviver com grupos diferentes, conseguindo fazer novas amizades mais facilmente, ele passa a entender desde cedo que a vida é recheada de mudanças. Mas isso não significa que enfrentá-las seja fácil.
     "As crianças adaptam-se mais facilmente do que pensamos", confirma a psicanalista Miriam Debieux, especialista em crianças e adolescentes. Os pais é que geralmente não conseguem lidar com a angústia dos filhos. "Nem sempre todo sofrimento é algo negativo. Ajudar a lidar com a angústia faz parte da aprendizagem", diz Debieux.
     Além disso, o esforço em estar sempre tentando proteger e poupar os filhos pode ser desfavorável em determinadas situações. "Nesse caso, a criança tem de resolver o problema sozinha. É um exemplo da maior ingerência dos pais na vida dos filhos", diz Rosely Sayão, psicóloga.
     Atualmente, muitas escolas optam pelo rodízio anual. Segundo Elisa Maria Loureiro, diretora pedagógica da escola Pueri Domus, quando as turmas seguiam juntas por anos, os grupos ficavam fechados, e as panelinhas predominavam. "Cada criança assumia um papel permanente. Uma era a mais tímida; a outra, a mais boazinha; e a terceira ficava sendo eternamente a levada. As crianças não tinham chance de assumir outro papel", afirma.

COMO OS PAIS ANGUSTIADOS DEVEM AGIR
1. Não assuma as responsabilidades pela criança. Deixe-a resolver seu problema e fique atento para saber a hora certa de ajudar.
2. Deixe claro ao seu filho que mudança não é sinônimo de algo ruim.
3. Incentive as novas amizades.
4. Se o problema parecer grave, procure a escola.
5. Ajude seu filho a não perder contato com os antigos colegas. Eles continuarão a se encontrar nos intervalos, recreio, excursões etc.
6. Procure sempre observar o tipo de relacionamento que seu filho tem com os amigos. A amizade deve ser produtiva.
7. Pais de adolescentes devem saber que, nessa idade, as mudanças de turma são mais complicadas do que na infância. Os amigos têm um peso muito grande; é quando o grupo familiar é trocado pelo grupo de amigos.

POR QUE A MUDANÇA FAZ BEM À CRIANÇA
1. Ensina a convivência com grupos de pessoas diferentes daqueles com os quais ela já está acostumada.
2. Evita que ela incorpore e desempenhe papéis estigmatizados.
3. Incentiva sua independência e iniciativa; a conquista de novas amizades vai depender só dela, sem a ajuda do grupo ou dos pais.
4. Ensina a enfrentar as mudanças da vida, que são inevitáveis e repentinas.
5. Capacita a criança a lidar com frustrações e angústias e, assim, desenvolver uma personalidade mais sólida.
6. Estimula o aluno a buscar novos colegas com interesses comuns e também ensina como manter o contato com os antigos colegas.

ESTE TEXTO FOI EXTRAÍDO DE UMA REPORTAGEM DO SUPLEMENTO EQUILÍBRIO
(1º DE FEVEREIRO DE 2001), PARTE INTEGRANTE DO JORNAL FOLHA DE S.PAULO.

Voltar

COLÉGIO ARGUMENTO

Certificação de Utilidade Pública Federal
pelo Ministério da Justiça

Certificação de Entidade Beneficente
pelo Ministério da Educação
2943-1002